Resenha: “Teatro dos Lírios”, de Lulu Wang

Resenha: “Teatro dos Lírios”, de Lulu Wang

Esse livro é um relato semi-autobiográfico da autora chinesa Lulu Wang e se passa numa China em plena Revolução Cultural.

A Revolução Cultural Chinesa foi um movimento de político criado por Mao Tsé-Tung que ocorreu durante os anos de 1966 a 1976, com o fito de realizar uma limpeza política no governo chinês e dissociá-la do modelo de comunismo soviético. Esse movimento se deu através da mobilização estudantil e das massas contra os intelectuais do país. Aqueles que estavam “possessos pelo espírito capitalista” eram mandados para campos de trabalho forçado, para que pudessem, assim, se reencontrar com seus estados proletários. Os alunos foram recrutados para fazerem parte dos Guardas Vermelhos, unidades paramilitares organizadas pelo Partido Comunista Chines (PCC).

“O grupo […] iniciou uma onda de vandalismo contra monumentos históricos […], perseguiu membros rivais do PCC, professores e pessoas acusadas de serem conservadoras. Logo, os Guardas Vermelhos racharam em várias facções, cada uma julgando ser a verdadeira representante de Mao. Com isso, o grupo foi perdendo sua força aos poucos até desaparecer.”

(ABRIL, 2018)

Calcula-se que a Revolução Cultural da China causou mais de um milhão de mortes.

O livro disserta sobre a história de Lian, uma garota de 14 que tem os pais enviados a campos de reeducação. A narrativa tem como foco a sua adolescência de e convivência com o regime chinês. Ao ser enviada junto com sua mãe para um dos centros de trabalho forçado, a protagonista se encontra com os maiores intelectuais do país, presos no com ela por terem opiniões divergentes a do Mao Tsé-Tung.

Em meio aos exercícios desgastantes e à rotina restrita, a garota apresenta seus pontos de vista sobre a história e política do seu país para um pequeno lago atrás dos dormitórios em que vive, o qual chama de Teatro dos Lírios. Nesses raros momentos de opiniões proibidas, o leitor percebe a maturidade de uma criança que é obrigada a encarar essa natureza dura em tão tenra idade.

“– Então o senhor também será libertado [do campo] em breve?

– Eu não quis dizer isso. Ah, menina, eu não tenho mais esperança. E pessoas sem esperança não podem mais ficar decepcionadas.”

Lulu Wang, Teatro dos Lírios.

O livro é dividido em três partes: durante, antes e após a ida ao campo (nessa ordem). A narrativa é densa, mas a escrita é fácil de ser compreendida. Os assuntos tratados são muitos: a corrupção de regimes políticos, a posição da mulher numa sociedade patriarcal, a falta de liberdade de expressão, a doutrinação, o trabalho escravo, a homossexualidade, a importância de intelectuais e professores na coletividade, entre outros.

Essa definitivamente é uma leitura que merece recomendação. Toda a história é inspirada na vivência da autora, e só quem passou por algo assim sabe escrever como ela.

Talita Soares

Internacionalista em formação, leitora voraz e escritora nas horas vagas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.