A RESSURREIÇÃO DO VELHO CONFLITO ENTRE QUIRGUISTÃO E TADJIQUISTÃO

A RESSURREIÇÃO DO VELHO CONFLITO ENTRE QUIRGUISTÃO E TADJIQUISTÃO

Na semana passada, Quirguistão e Tadjiquistão entraram em um novo confronto por disputas que envolvem áreas de fronteira e a questão da água entre os dois países. O conflito, embora em menor proporção, deixou 2 tadjiques mortos e 10 quirguizes feridos, segundo relataram diversas agências de notícias internacionais (UOL, 2021), e rapidamente os vizinhos concordaram em interromper a troca de tiros. No entanto, o episódio foi mais um capítulo da história de rivalidade entre essas duas ex-repúblicas soviéticas, localizada na Ásia Central, nove meses depois de um enfrentamento entre soldados que teve consequências mais drásticas, com dezenas de mortos, centenas de feridos e milhares de pessoas deslocadas durante dois dias de disputas no final de abril do ano passado.

Embora os dois países não estejam tanto em evidência em relação a outras ex-repúblicas soviéticas e até mesmo vizinhos, como o Cazaquistão e o Uzbequistão, a rivalidade entre Quirguistão e Tadjiquistão vem desde os tempos de União Soviética e obteve novos capítulos com sua dissolução, em 1991, por conta de uma divisão territorial que nunca teve a aquiescência de nenhum dos lados e representa um terço da fronteira entre os dois países. Isso tem gerado divergências e troca de acusações, o que levou a um dos conflitos mais violentos envolvendo os dois países, em abril de 2021, desde a guerra civil do Tadjiquistão, que ocorreu na década de 90, e despertou a atenção da comunidade internacional. Mas o que de fato provocou os conflitos entre esses países tão discretos no cenário mundial e o que eles teriam para serem observados pelas potências?

É o que este artigo vai procurar mostrar, abordando um pouco mais sobre essa disputa de décadas por questões territoriais e recursos hídricos, as características das duas nações, contextos políticos e como a comunidade internacional olha para a região. A Ásia Central é um ponto estratégico na nova Rota da Seda e sua localização também merece atenção especial por outros fatores, com o fornecimento de gás natural, petróleo e outros recursos naturais. Desta forma, Quirguistão e Tadjiquistão se encaixam neste contexto por estarem cercados, junto com os outros países da região, por Rússia e China, as potências mais influentes do continente asiático.

Conheça mais sobre os dois países

Quirguistão ou República QuirguizRepública do Tadjiquistão
CapitalBisquequeDuchambé
População6.591.600 (2020)9.537.642 (2020)
Área199.950 km2141.380 km2
MoedaSomSomoni
ReligiãoIslão (principal)Islão (principal)
Fronteiras– Cazaquistão (norte) – Uzbequistão (oeste) – Tadjiquistão (sul) – China (leste)– Afeganistão (sul) – Uzbequistão (oeste) – Quirguistão (norte) – China (leste)
IdiomasQuirguiz (oficial) e russo (cooficial)Tadjique (oficial)
GovernoRepública parlamentaristaRepública presidencialista
Presidente (chefe de Estado)Sadyr JarapovEmomali Rakhmov
Primeiro-ministro (chefe de governo)Akylbek JarapovKokhir Rasulzoda

 Fontes: Wikipedia e Country Economy

Segundo Khanna (2008, p.143), a maioria dos observadores externos ainda tem dificuldades de perceber mais pormenores acerca das diferenças entre os “istões” [1]. Em seu livro intitulado “Sovietistão”, a antropóloga norueguesa Erika Fatland, aborda várias dissimilaridades neste pedaço da Ásia (FOLHA.COM, 2022).

“Enquanto mais de 80% do Turcomenistão é tomado pelo deserto, o Tadjiquistão é 90% montanhas. Enquanto o Cazaquistão nada em dinheiro, graças às suas reservas de gás, o Quirguistão depende em boa parte dos recursos enviados do exterior por gente que emigrou. (..) Se o Turcomenistão é uma ditadura tão fechada quanto a Coreia do Norte (os dois países, aliás, insistem que não tiveram nenhum caso de Covid-19 graças à sabedoria de seus governantes) e talvez ainda mais bizarra, o Quirguistão tem votações democráticas e já depôs dois presidentes.” (FOLHA.COM, 2022).

No caso do Quirguistão e do Tadjiquistão (um país autoritário e fechado, com o mesmo presidente desde 1992), talvez faça um certo sentido se avaliadas as duas primeiras décadas pós União Soviética, quando o que se podia definir das duas nações, divididas por fronteiras grosseiramente traçadas, era que as menos seriam sérias candidatas a serem engolidas ou empurradas para debaixo de um tapete imperial (impérios aqui, leia-se China e Rússia) que se estendia pela Ásia Central (KHANNA, 2008, p.143). Ou mesmo poderiam ser classificados como meras rotas de passagem cenográficas (por causa dos cenários montanhosos, principalmente no Tadjiquistão) para a nova Rota da Seda traçada pelos chineses (Idem, pp. 144-145).

“(..) os dois parecem menos países do que espaços fronteiriços entre impérios. Exatamente como acontecia há um século, o Grande Jogo está sendo jogado nos cumes e à sombra das cordilheiras de Tian Shan e Pamir.” (Ibidem, p.143).

As discórdias

A delimitação das fronteiras na Ásia Central foi feita por Stalin, ou seja, vem do início do século XX, quando surgiu a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), sem um alinhamento coerente com a distribuição cultural e social dos habitantes. Santos (2021) utiliza o termo teicopolítica (políticas de contenção baseada na construção de muros ou barreiras) para avaliar a questão. No caso envolvendo quirguizes e tadjiques, a rivalidade envolve mais de um terço da fronteira e não houve uma divisão física, o que certamente aumentou a escala de tensão, pois ambos se sentiram, todos estes anos, no direito de reivindicar determinado território ou um leito onde a gestão dos recursos hídricos alimenta a disputa. A fronteira entre Quirguistão e o Tadjiquistão é de 984 km no total e lá vivem quase 59 mil tadjiques (SANTOS, 2021).

No centro da disputa está a região de Vorukh, um exclave tadjique em meio ao território quirguiz com pouco mais de 30 mil habitantes. É uma área importante porque é nesta região que o Tadjiquistão assegura o controle de nascentes de água cruciais que abastecem especialmente pequenos vilarejos, inclusive os situados no Quirguistão. Os tadjiques também reivindicam um corredor que liga Vorukh ao restante de seu território. Tanguy Baghdadi, analista de política internacional, explica que estes e outros fatores acabam por inflamar os discursos nacionalistas e rivalidades étnicas que resultam em iminentes conflitos, como o que ocorreu no final de abril de 2021 (PETIT JOURNAL, 2021) e o do início deste ano.    

O que motivou o conflito do ano passado foi a instalação, por parte do Tadjiquistão, de uma câmera de monitoramento sobre uma estação de tratamento de água do seu vizinho. Isso gerou a reação da população quirguiz, que lançou pedras do outro lado da fronteira, provocando também resposta mútua. As pedradas evoluíram para as trocas de tiros e incêndios (PETIT JOURNAL, 2021). Entre as consequências, 55 mortes no total, 36 do lado quirguiz e 19 do lado tadjique (SANTOS, 2021), além de mais de 30 mil desabrigados (MÉDICOS SEM FRONTEIRAS, 2021). No dia 1º de maio do ano passado, os presidentes dos dois países, Emomali Rakhmon (Tadjiquistão) e Sadyr Japarov (Quirguistão), conversaram por telefone e concordaram com o cessar-fogo (CHINA RADIO INTERNATIONAL, 2021).

A decisão foi oficializada no dia seguinte com o seguinte comunicado divulgado pelo chefe do Comitê Estadual de Segurança Nacional do Quirguistão, Kamchibek Tashiev (SPUTNIK, 2021):

“Seguindo as instruções dos chefes de nossos Estados, tomamos a decisão sobre um cessar-fogo total, bem como sobre a retirada das tropas.” (SPUTNIK, 2021).

Um novo desentendimento entre os dois países votou a acontecer nos últimos dias de janeiro deste ano, entre guardas fronteiriços dos dois países envolvendo-se em combates armados e os dois lados trocando acusações (AGÊNCIA LUSA, 2022). Desta vez, o saldo foi de 10 feridos e dois mortos do lado do Tadjiquistão (UOL, 2021). Este novo confronto teve menor duração e rapidamente ambos os lados acertaram mais um cessar-fogo (DETV, 2022).

Considerações finais

Os últimos episódios envolvendo os dois países mostram que ainda haverá novos desdobramentos do conflito entre Quirguistão e Tadjiquistão. Embora os confrontos ocorridos no ano passado e na semana passado tenham tido um pouco mais de repercussão no âmbito internacional, os ânimos entre os dois se acirraram por inúmeras vezes, envolvendo a questão hídrica, a definição territorial e a construção de infraestrutura. A adoção do cessar-fogo como solução tem um caráter apenas paliativo e não se pode apostar em uma saída definitiva para pôr fim a esta disputa histórica sem uma proposta concreta de delimitação de fronteiras e gestão dos recursos hídricos.

Estes territórios também passaram a ser vistos com outras finalidades e países como Rússia e China vislumbram ter mais influência sobre essa região, além dos Estados Unidos, que enxergam nessa região da Ásia Central uma área para instalação de bases militares para futuros confrontos com Afeganistão. Mas a questão central está justamente voltada para a delimitação real e concreta da divisória entre os dois países e, indubitavelmente, as potências mundiais e a comunidade internacional deve estar mais atenta na observação dos fatos que ocorrem nos dois países e seus possíveis desdobramentos.

NOTAS

[1] – Os “istões” são um termo usado como referência aos países da Ásia Central: Cazaquistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão.    

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CHINA RADIO INTERNACIONAL. Presidentes do Tajiquistão e do Quirguistão conversam sobre conflitos fronteiriços. Disponível em <http://portuguese.cri.cn/news/world/408/20210501/658058.html>. Acesso em 01/02/2022

COUNTRY ECONOMY. Comparação entre Quirguistão e Tadjiquistão. Disponível em <https://pt.countryeconomy.com/paises/comparar/quirguistao/tajiquistao>. Acesso em 31/01/2022

DETV. Tadjiquistão e Quirguistão concordam em cessar-fogo. Disponível em <https://pt.detv.us/2022/01/28/tajiquistao-e-quirguistao-concordam-em-cessar-fogo-rt-pt/>. Acesso em 01/02/2022

FOLHA.COM. Sovietistão equilibra história e relato de viagem em ex-nações soviéticas. Disponível em <https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2021/06/sovietistao-equilibra-historia-e-relato-de-viagem-em-ex-nacoes-sovieticas.shtml>. Acesso em 30/01/2022.

G1. Confrontos na fronteira entre Quirguistão e Tadjiquistão deixam dezenas de mortos e países concordam em um cessar-fogo.  <https://g1.globo.com/mundo/noticia/2021/04/30/confrontos-na-fronteira-entre-quirguistao-e-tajiquistao-deixam-dezenas-de-mortos-paises-concordam-em-um-cessar-fogo.ghtml>. Acesso em 29/01/2022

KHANNA, Parag. O segundo mundo: impérios e influência na nova ordem global. Tradução de Clóvis Marques. Intrínseca, 2008.

MÉDICOS SEM FRONTEIRAS. Quirguistão: Confrontos na fronteira deixam milhares desabrigados e em estado de choque.   Disponível em <https://www.msf.org.br/noticias/quirguistao-confrontos-na-fronteira-deixam-milhares-desabrigados-e-em-estado-de-choque/>. Acesso em 29/01/2022

PETIT JOURNAL. Os atritos entre Tadjiquistão e Quirguistão. Disponível em <https://www.petitjournal.com.br/post/os-atritos-entre-tajiquist%C3%A3o-e-quirguist%C3%A3o>. Acesso em 01/02/2022

RTP. Guardas fronteiriços do Quirguistão e do Tadjiquistão envolvem-se em combates. Disponível em <https://www.rtp.pt/noticias/mundo/guardas-fronteiricos-do-quirguistao-e-do-tajiquistao-envolvem-se-em-combates_n1380078>. Acesso em 01/02/2022

SANTOS, Jonathan Christian Dias dos. Novas fronteiras mundiais e as teicopolíticas na Ásia Central: O caso entre Quirguistão e Tadjiquistão. Revista Geopolítica. Disponível em <http://www.revistageopolitica.com.br/index.php/revistageopolitica/article/view/355/281>. Acesso em 28/01/2022

SPUTNIK. Quirguistão e Tadjiquistão entram em acordo para cessar-fogo total na fronteira. Disponível em <https://br.sputniknews.com/20210502/quirguistao-e-tajiquistao-entram-em-acordo-para-cessar-fogo-total-na-fronteira-17445009.html>. Acesso em 02/02/2022.

UOL. Quirguistão e Tadjiquistão anunciam fogo após confrontos mortais. Disponível em <https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2022/01/28/quirguistao-e-tadjiquistao-anunciam-cessar-fogo-apos-confrontos-mortais.htm>. Acesso em 29/01/2022

Wikipedia. Informações sobre Quirguistão e Tadjiquistão. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Fronteira_Quirguist%C3%A3o-Tajiquist%C3%A3o>. Acesso em 30/01/2022

IMAGENS

https://cultura.uol.com.br/olimpiadas/noticias/2021/07/23/96_atletas-de-quirguistao-e-tajiquistao-desfilam-sem-mascara-na-abertura-da-olimpiada-de-toquio.html

https://pt.topwar.ru/191656-ocherednoj-vooruzhennyj-konflikt-na-granice-tadzhikistana-i-kirgizii-udalos-pogasit.html

https://pt.wikipedia.org/wiki/Voruque

Pablo de Deus Ulisses

Jornalista e estudante do 5° semestre de Relações Internacionais na Estácio de Sá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.